Notícias  |  Links  |  Equipa  |  Localização  |  Contactos  |  Saudação do Director  |  Facebook  | 

EXPOSIÇÕES PERMANENTES
_______________________________________________________________________________

MEMÓRIAS VIVAS DA IMPRENSA

A exposição permanente do MUSEU NACIONAL DA IMPRENSA tem o nome de MEMÓRIAS VIVAS DA IMPRENSA, ocupando desde 1997 a SALA RODRIGO ÁLVARES. Nascido em Vila Real, este impressor utilizou já em 1497 a técnica dos caracteres ou tipos móveis, desenvolvida por Gutenberg na Alemanha cerca de 50 anos antes. Rodrigo Álvares imprimiu,no Porto, dois livros a pedido do Bispo do Porto, D.Diogo de Sousa, sendo por isso considerado o "Gutenberg Português".

O visitante poderá realizar um percurso histórico pelos equipamentos e peças que se encontram, muitos deles, prontos a serem utilizados e manuseados - constituem, por isso, verdadeiras memórias vivas da imprensa, sendo algumas delas autênticas relíquias da indústria gráfica

Miniaturas tipográficas

O Museu Nacional da Imprensa passou a ter, desde 15 de Novembro, uma nova exposição permanente. Composta por cerca de 160 peças, mostra a evolução da imprensa, desde Gutenberg até à actualidade. Não há conhecimento de que exista qualquer colecção similar, no mundo.
As peças foram produzidas por Américo da Silveira, um tipógrafo que estudou nas Oficinas de S. José, no Porto, e que durante 40 anos foi construindo as miniaturas. Para o efeito visitou várias fábricas de maquinaria gráfica, sobretudo alemães, e correspondeu-se com muitas empresas por causa das particularidades das máquinas que foi reproduzindo. Autor de publicações sobre a actividade tipográfica, Américo da Silveira foi mestre em várias escolas técnicas e chefe de tipografia em empresas de Portugal e Angola. Integrou também o quadro técnico da firma Manuel Reis Morais, no Porto.

   

 

PORTOCARTOON O RISO DO MUNDO

A exposição PORTOCARTOON | O RISO DO MUNDO apresenta os premiados das edições do PortoCartoon-World Festival, iniciativa do Museu Nacional da Imprensa que tem vindo a impor-se na cena internacional e é já considerado um dos três principais concursos mundiais de humor, de acordo com a classificação internacional dada pela FECO (Federation of Cartoonists Organisations).
Constituída por dezenas de obras, a mostra abre com um texto trilingue (português, inglês e castelhano) do director do museu.
Os premiados e as menções honrosas patentes na exposição, são os melhores trabalhos seleccionados de centenas de cartunistas concorrentes, oriundos de dezenas de países.
A exposição é permanente e está patente ao público na Galeria Internacional do Cartoon do Museu.